Mostrar Mensagens

Esta secção permite-lhe ver todas as mensagens colocadas por este membro. De realçar que apenas pode ver as mensagens colocadas em zonas em que você tem acesso.


Mensagens - Milonga

Páginas: [1] 2 3 ... 5
1
Entre a Acupunctura e a alopatia existem diferenças abissais sobretudo na forma como se avalia os pacientes, mas uma coisa não pode ser descartada, a doença!!. Uma hepatite, uma úlcera, uma constipação, etc... é sempre igual em termos de sintomas, quer seja na China ou em França. Uma doença é uma doença com sinais e sintomas bem específicos. A forma como nós a interpretamos é que varia .O organismo não distingue se um determinado fármaco é alopático ou se é fitoterápico. O que acontece na realidade são interacções dos princípios activos que devemos ter atenção e cuidado, porque se assim não for, estamos a ser inconsequentes, , porque não só colocamos a vida dos pacientes em risco, como também a imagem de uma classe que se quer afirmar dentro do panorama de saúde nacional, como uma classe responsável, credível e cujos profissionais têm conhecimentos adequados para o exercício da profissão.

Ficam aqui alguns exemplos: “interação medicamentosa entre fitoterapia e medicamentos”

“Os medicamentos fitoterápicos são amplamente utilizados, principalmente, pelos portadores de doenças crónicas e em associações medicamentosas com diversos fármacos. As possíveis interacções entre eles estão sendo muito estudadas, pois podem alterar os perfis de eficácia e segurança de muitos fármacos. Nesta revisão, as informações foram localizadas, avaliadas e sistematizadas e contêm as principais interacções entre fármacos e medicamentos fitoterápicos elaborados com ginkgo ou ginseng. Verificou-se que os medicamentos fitoterápicos elaborados com tais plantas podem interferir na farmacocinética e/ou farmacodinâmica de diversos fármacos, podendo provocar consequências graves aos pacientes. O ginkgo pode interferir com anticoagulantes orais, antiplaquetários e com fármacos metabolizados pelo sistema P450-CYP3A4. O ginseng pode interagir com antidepressivos inibidores da monoamino oxidase, anticoagulantes orais, anti-hipertensivos, e contraceptivos à base de estrogênios. Além disso, não é recomendada a administração concomitante de ginkgo ou ginseng com antineoplásicos. Nesse sentido, o uso concomitante de medicamentos fitoterápicos à base de ginkgo ou ginseng com outros fármacos deve ser adequadamente monitorizado.”

1.   www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-695X2008000100021&script...‎

 “Gengibre (Zingiber officinale Rosc.) – Indicações/Ações terapêuticas: profilaxia de náuseas causada por mo¬vimento (cinetose) e pós-cirúrgicas. Padronização/marca¬dor: Gingeróis (6-gingerol, 8-gingerol, 10-gingerol, 6-sho¬gaol, capsaicina) [dose diária: crianças acima de 6 anos: 4-16 mg de gingeróis; adulto: 16-32 mg de gingeróis] 6.
Interações medicamentosas 1,3,11,22,32,36,38,44,46: Há evidências de que o gengibre estimula a produção de áci¬do clorídrico estomacal e, como consequência, em teoria, poderá comprometer a ação de medicamentos contendo sucralfato, ranitidina ou lansoprazol; contrariamente, ao que foi verificado em animais, ou seja, proteção esto¬macal. Teoricamente o gengibre poderá aumentar o risco de sangramento quando administrado conjuntamente ao ácido acetilsalicílico, varfarina, heparina, clopidogrel, ibuprofeno ou naproxeno ou outros medicamentos que apresentem esta acção; em doses elevadas poderá desen¬cadear sonolência, além de que poderá interferir com me¬dicamentos que alteram a contracção cardíaca incluindo os beta-bloqueadores, digoxina e outros medicamentos para o coração. Existe a possibilidade de diminuição dos níveis de açúcar no sangue e, portanto, poderá inter-ferir com medicamentos administrados por via oral para diabéticos ou com a insulina. Estudos sugerem que fito¬químicos presentes em dietas como capsaína, curcumina, [6]-gengerol e resveratrol apresentam efeito inibitório na P-glicoproteína potencializando interações alimentos-me¬dicamentos.”
Ps:Não é uma resposta dirigida a ninguém em especial mas a todos os leitores  e espero não estar a ferir susceptibilidades.

Abraço

2
Olá Filipe,
Lamento, mas não entendeu nada do que lhe quis dizer. Só por mera informação, sou acupunctor com 5 anos de formação e conheço relativamente bem  a fitoterapia, daí o meu sinal de alerta.Mas não fiquei minimamente aborrecido,porque aprendi que temos que lidar com as nossas opções e consequências.
Abraço
Nelson

3
Olá Filipe,
De facto só queremos ajudar, mas há determinadas coisas que não nos podem passar ao lado. Não concordo, quando diz que as análises clínicas têm um valor totalmente nulo. Desculpe-me mas não é correcto. A avaliação das análises é importante. Neste caso em concreto, é importante para excluir algumas patologias. Por exemplo: valor da glicémia, para excluir diabetes mellitus, avaliação da imunidade, para excluir síndrome de Sjogrem, Fe,vit B12,para excluir alguma deficiência e inclusivamente anemia...
Embora não seja esse o caso, se estiver a fazer um emagrecimento e usar centelha asiática é bom que tenha em mente os valores dos triglicéridos, porque se este  for elevado, a centelha asiática é contra indicada. Normalmente os pacientes chegam até nós já cansados dos insucessos da medicina convencional e dizem-nos aquilo que acham que têm e as vezes o que elas dizem ter pode não corresponder a realidade dos factos. Convém de facto pedir que tragam todos os exames que possuem,  ler os relatórios feito pelo médico assistente e então trabalhar com segurança.  Pelo que percebi do post, a Joana não sabe os medicamentos que a paciente  tomou ou toma, logo em minha opinião , não utilizaria fitoterapia. Relativamente às plantas que refere não são totalmente isentas de interacção e o seu uso requer algum conhecimento. Por exemplo: Dente de Leão também conhecido por TARÁXACO, que pertence a família das asteráceas, as partes utilizadas são as folhas e as raízes. Tem como principal indicação na disfunção hepatobiliar, infecções urinárias, litíase renal e vesical. A UE aprovou a uso das raízes nas alterações do fluxo biliar, estimulação da diurese, perda de apetite e dispepsia e as folhas para perda de apetite, dispepsia (enfartamento e flatulência). No entanto essa inocente planta é contra indicada na obstrução das vias biliares sobretudo no caso das raízes. Nos cálculos biliares só deve ser usado sob controlo médico. Devido ao seu conteúdo de substancia amarga pode causar hiperacidez e azia em pessoas sensíveis. Deve-se ter algum cuidado quando prescrevemos essa planta em doentes hipertensos ou em pacientes que tomam cardiotónicos, porque pode haver descompensações.
Abraço
Nelson

4
Olá Joana, estás bem? Pela sintomatologia que referes é difícil aferir se é o não BMS (burning mouth sindrome).A característica fundamental dessa patologia é a sensação constante de boca a arder ou a queimar. Há de facto uma alteração na percepção do paladar ou a persistência de um gosto incomum, normalmente amargo ou metálico.
Avaliaste as análises? Como está o F, a Vit B12,glicémia, tem doença de sjogren? Usa prótese dentária? Língua geográfica,liquen plano, refluxo gastro esofágico,próteses dentárias  mal adaptadas...
Concordo com a abordagem que fizeste em agir preferencialmente no Rt/E e Mental. Penso que deves tonificar o centro e o yin. (5P,7Rn, 6Rt,36E) e reforçava mais o metal usando eventualmente os 4 portões , 17VC em direcção a cabeça,10Rt ou 39BV (entre outros). Não faria fitoterapia sem conhecer a medicação que a paciente faz (atenção as interacções). Acho perigoso!!! Ao contrário do que o Filipe diz, é mto importante conhecer a patologia em medicina convencional(sem ofensa Filipe), só assim conseguirás ter bons resultados .Quanto a patologia ao nível do palato… Observa com a atenção as lesões e se possível fotografa. Não te metas em aventuras em fazer uma avaliação unicamente com base na MTC. A paciente apresenta quadro de tumores, assim sendo, se a patologia persistir deve ser feita uma biopsia. Tens em mãos um caso nada fácil. Boa sorte!!
Nelson

5
Olá Joana, apenas uma dúvida: O que a leva a concluir que a paciente apresenta um quadro de burning mouth?
Obg
Nelson

6
Pois André é como vocês dizem. Abraços

7
Olá André,as coisas vão-se desenhando de uma forma bem visível e clara. Sabes que começa a haver formação em acupunctura em universidade de Lx e Porto e uma das condições é ser da área da saúde?Há imensos colega de acupunctura a fazer cursos na área da saúde.Não basta dizer que se trata pessoas para se considerar técnico de saúde.Mas não digo
Abraço
Nem respondo ao colega pq é perda de tempo.

8
Hoje estive a conversar com uns ex.prof seus, ele é português e ela chinesa.Não vou citar nomes pq conhece-los bem.Todo o chinês têm formação alopática se segundo a prof.chinesa até podem prescrever medicação alopática qdo necessário.È doloroso o seu desconhecimento...Qto a minha formação em MTC não duvide, vai ficar surpreso....
Abraço
PS.programe o seu futuro!!!

9
Caro colega,deve ter andado a ver as vistas da grande muralha e deixou passar o essencial por ter sido distraido.O facto de não se ter apercebido da formação em Medicina alopática de mtos médicos chineses  é um erro sério.Afirmar que os fisioterapeutas e os psicologos  trabalhavam  a   bem pouco tempo"irregularmente",confesso que é nova para mim e não entendo sinceramente o que quer dizer.O colega deve saber certamente .Pq se considera técnico de saúde colega, é capaz de me dizer?? Já sei!....Trata pessoas! Sabe, eu conheço bem a formação de MTC e garanto-lhe que a maioria devia ter muito cuidado quando punctura um paciente. Continuo achar insensato fazer um curso de MTC sem um projecto de um curso de saúde no futuro.
gostei dessa"Porque do que vi la não é bem assim, alias a formação deles teórica é bastante semelhante á nossa".
pois....


Abraço!

10
Medicina Tradicional Chinesa / Re: desafio aos aupuntores portugueses
« em: Março 13, 2011, 15:46:20 pm »
Boa ideia Nuno
Abraço

11
Caro colega Lofamakanda, Obviamente que em MTC há uma leitura diferente da patologia e a diferenciação de síndromes constitui de facto um avanço enorme em relação à medicina alopática. Mas é imperativo conhecimentos na área da saúde que a esmagadora maioria dos acupunctores não tem.
"O problemas da MTC não se prende com a necessidade de ter outra formação na área da saúde( outra??)Sendo que por vezes essas formações podem entrar em conflito de teorias e intervenções". Não entendo o que quer dizer com isso, pq não faz de todo sentido.Tanto não faz   que os próprios chineses têm formação em Medicina Ocidental.Por alguma razão,não acha colega?
como referi anteriormente,dada a necessidade de se regular a prática de MTC em Portugal (acho que a maior parte das pessoas não sabe as implicações de uma regulamentação),é insensato fazer um curso de MTC(nos moldes actuais) sem pensar fazer futuramente um curso na área da sáude .

12
Não coloques as coisas de uma forma tão linear.Digamos que se está a tornar imperativo que a prática ou o exercício da MTC passa pela formação adequada dos seus  profissionais relativamente à saúde. As escolas de MTC, seja ela qual for, pecam no que diz respeito a essa questão.Formam pessoas que trabalham com a saúde mas que não têm o mínimo conceito do que é a saúde . É um facto!Sabemos que as coisas vão mudar e muito.  Por essa razão, há cada vez mais acupunctores a tirar cursos na área da saúde.
Para entrar em MTC só precisas ter  dinheiro para pagar as propinas.A UMC ainda te pede o curriculum. A ESMTC pede-te para leres um livro, fazes o exame e entras(literal).É de facto fácil....

13
Pq não fazes um curso de saúde antes de te aventurares na MTC?Sabes qual é a tendência para a prática da MTC?
Como as coisas se vão desenhando, quem não for da área da saúde não poderá exercer MTC. Independentemente das escolas, pensa no futuro .....

14
Grande tratamento.Mais parece uma corrida de motocross!!!
De facto há muita falta de credibilidade

15
Já há muito tempo que não passava por aqui, e infelizmente, continuo a ouvir barabaridades.Respondendo ao Nuno: relativamente aos cursos de fim de semana,estou a concluir um doutoramento e há mais de 2 anos que não tenho aulas.Tive 2 dias por semana no primeiro ano e qdo terminar o doutoramento vou ser prof.Dr:Isso diz-te alguma coisa?
Tenho falado com acupunctores com um paleio igual ao deste sr "acupunctor" e por sinal da mesma escola.São aceitáveis em prática mas com um conteúdo teórico de rir!!
O Sr sabe o que é prática clinica?sabe com agir perante um paciente?Engraçado!Saberá o dito sr distinguir um eczema de uma dermatite atópica?saberá a diferença entre uma lingua crenada e uma com marcas dentárias? Saberá a diferença entre um carcinoma espino-celular e uma lesão branca da lingua? ou saberá apenas que a lingua tem capa branca?Enviado por: acupunctor "Frequento o 5º ano do curso da ESMTC, ja estive na china, e sinto me muito bem preparado para receber os pacientes que me têm aparecido"
ahahahahahahhaha,levei anos para estar preparado e o rapaz....hahahahaha

Páginas: [1] 2 3 ... 5